3.6.09

Ainda. Por você, por mim

E fica nessa confusão, nesse vai e vem de sentimentos. Li que amizade e amor se confude e que devemos tomar cuidado, e a ideia foi te pedir um favor, sem oi, sem tchau, sem coisas feitas ou a fazer. Nada de você, nada da sua vida. Nada que constate a sua existência. Eu não quero nada mais de você! Mas eu não sou covarde, sair assim se te avisar, deixar as coisas largada no meio do caminho, mas é que vc me confude e talvez nem perceba. Eu não sou ruim por te pedir isso, a verdade mesmo, é que dar um apertinho aqui do lado esquerdo. E vem aquela sensação de que ta faltando algo. Saudade, medo, vergonha, felicidade, tristeza, dúvida. Tudo se mistura e não resta quase nada para sentir. De repente, tudo se transforma. É só pensar em você. O sorriso vem fácil, as palavras, o seu sorriso bonito. Hoje eu estava no estacionamento e fiquei seguindo as plaquinhas de saída e vi que é isso que faço melhor do que ninguém. Não acho nada forte e confiante ser assim, e então, me vem a ideia de realmente te contar as coisas. Esse é só um dos absurdos que passam pela minha cabeça quando me salta você no peito. Como se meu coração fosse uma dessas caixinhas surpresas e você o boneco de mola pra assustar crianças. Elas se assustam mas riem e abrem de novo e de novo. E isso acaba comigo. E então volta essa coisa maluca de eu me livrar do que eu nem sei se sinto pra você, sem nem saber se sente, sentir o que já estava aí esse tempo todo. E de novo optar pelo preto no branco, mas sem joguinhos de claro e escuro, era sim ou não. Talvez agora estivesse se dando conta da responsabilidade que muitas vezes tendemos a jogar nos ombros de alguém quando nem tentamos fazer ao menos a nossa parte. Já percebia que aqueles seus pedidos não eram certos, porque não dá para cobrar confiança induzindo a traição. E são, sei lá, duas e pouco da manhã. Passo boa parte de tudo sem doer, sem sentir tão forte. Às vezes nem parece que aconteceu. Mas o tempo todo, ainda, converso e te mostro tudo, o tempo todo. O tempo todo. O tempo todo e vc nem percebe, ou não quer perceber. E quase, quase quis larga isso tudo de vez outra vez. Mais uma das minhas ideias. Por você, por mim, 'vai ser melhor assim' não me esquece, por favor. Eu nunca vou esquecer você. Eu não soube o que fazer com você, mas sei o que fazer com o não você. Isso eu sei fazer e faço bem. Mas olha, ainda assim, olha eu aqui de novo. Espera... não foi minha intenção. Meu coração é mole demais, e a carne, fraca! A vontade. Deus, que vontade! Até sobra! Sobra até demais... Mas é isso. Só que ontem vieram me perguntar o quanto eu te queria, e hoje eu acordei pensando em você e em tudo o que nunca aconteceu. E veio assim, de repente uma vontade de te ver. Não quero pensar nisso. Quero apenas deixar ser, que tá bom! A vontade pode surgir, você sabe, eu não faria por mal, nem sei se faria. Hoje um dia, amanhã outro... Fantasiei bons momentos. Palavras não ditas. Acertos ao invés de erros. É engraçado, mesmo distante, mesmo tudo muito rápido, foi intenso e marcante. Esse sentimento clandestino. Lindo. Por dentro, por fora, e até quando nossos olhares estavam fechados tentando dormir, eu senti a sua beleza porque os nossos joelhos estavam se encostando e eu pude sentir a sua forma. E mesmo que a gente nunca mais viva minutos como este, valeu por cada segundo pelo qual nós nos queremos. É só sinceridade, não nego. Pelo contrário! Eu sinto! Você sabe que eu sinto. Agora, vem e fala comigo, não quero ter que sentir sua falta. Estica para mim, estica as únicas mãos que eu adoro segurar. E deita, deita que eu quero te ver dormir. Por hora eu só buscava um pouquinho de entendimento e nada mais. E talvez isso decepcione você, mas eu não sou essa pessoa controlada e tão certa de mim. É que nas horas de desespero, visto essa fantasia de fortaleza. Mas basta um mínimo sinal de ataque para as muralhas irem todas ao chão. Ás vezes penso em ligar pra você. Saber dos seus dias e contar um pouco dos meus. Não tudo, apenas os capítulos mais sãos. Mas você vai saber disso e também vai saber que eu tenho medo, só que o meu medo maior é começar a gostar de toda aquela renovação. Deixa os dias ficarem comuns novamente, talvez eu possa te ligar e dizer que tudo aquilo já está velho e que agora eu posso começar a gostar. Deixar vir e deixar ir a dúvida. E eu fico aqui mais uma vez, tão esperta. E Agora é só esperar para ver...

2 comentários:

  1. Hoje tive uma idéia boba, fiz uma pesquisa no google com meu próprio nome e a idéia deixou de ser boba quando li o seu blog, um desabafo que poderia ser meu, não pela coincidência do nome, mas sim pelos sentimentos descritos tanto no texto acima quanto em seu perfil.
    Grande abraço, de uma Vanessa Moura.

    ResponderExcluir
  2. Lindo... linda.

    ResponderExcluir